Trabalho no futuro: desempregados pela tecnologia

Tempo de leitura: 3 minutos

O Futuro do trabalho é uma questão que cada vez mais tem sido discutida em todo o globo.

Especialmente no Brasil, as pessoas têm se preocupado muito nos últimos 2 anos não somente pelo cenário decadente de empregos e a crise socioeconômica do país, mas também porque começamos a testemunhar mudanças no modelo de trabalho jamais vistas anteriormente.

Os avanços tecnológicos e suas especulações tomam conta das redes. Conceitos e invenções que antes eram somente vistos em filmes estão cada vez mais presentes no nosso dia-a-dia. O futuro já é hoje!

A nossa interação com a tecnologia

Nós interagimos com a tecnologia tão naturalmente que nem percebemos. Nesse momento, um robô está vasculhando seus dados e fazendo milhares de relações e cálculos para te recomendar amizades, lugares e até as melhores rotas para chegar até o seu destino, tudo isso tem te perguntar nada. Aí então a dúvida surge: Estaria a criação se rebelando contra o criador?

Desde a primeira revolução industrial no século XVIII, com a invenção da máquina a vapor, novos conceitos de emprego e trabalho foram criados, e desde então o ritmo do mundo acelerou exponencialmente.

Um século depois, veio a Segunda revolução com o advento da produção de equipamentos
eletrônicos em massa (automóvel, telefone, televisor, rádio).

Logo após a Segunda Guerra Mundial, a economia internacional começou a passar por
profundas transformações. Essa nova fase marcada como a terceira revolução industrial, apresenta processos tecnológicos decorrentes de uma integração física entre ciência e produção, o uso consciente da tecnologia para ajudar o ser humano a ser mais produtivo e poderoso.

Perceba que, esses fatos estão acontecendo em intervalos de tempo cada vez menores.

A quarta revolução industrial

Hoje, pouco mais de 50 anos depois, já vivemos na 4a revolução industrial, também chamada de revolução 4.0. Bebês já nascem mexendo os dedinhos com uma sensibilidade natural para mexer em telas touchscreen, dispositivos conversam entre si, carros andam sozinhos, geladeiras fazem compras e tratores cuidam das plantações guiados por sensores climáticos.
Esses movimentos globais fazem parte da nossa história, criando choques entre profissões,
levando muitas a extinção, mas criando inúmeras outras.

Há 150 anos atrás, ninguém apostava que existiria a profissão de ascensorista de elevador, que bombou por décadas, mas hoje em dia é difícil de se encontrar. Da mesma forma que há 5 anos atrás nem se quer existia o termo “youtuber”, sendo que hoje é um dos trabalhos mais bem remunerados e consequentemente um dos mais cobiçados no mercado, criando oportunidades de negócios, como por exemplo escolas que já oferecem cursos para você se tornar um “digital influencer”.

Beleza, mas e meu trabalho?

É melhor você respirar fundo, porque SIM! Os robôs vão tomar seu emprego, e você deveria
agradecer por isso. A tecnologia foi criada para facilitar nossa vida e economizar nosso tempo, realizando cálculos e fazendo processos repetitivos. O bom nisso tudo é que existe uma diferença entre emprego e trabalho.

O emprego é uma atividade alienada em que o profissional atua por mera necessidade financeira, distante de algum tipo de apreciação ou prazer. Já no trabalho, nossa capacidade produtiva está alinhada com nossa criatividade e inspiração, a vontade de fazer. Essa expertise eu te garanto que um robô (ainda) não tem.

Então, se você está com medo de chegar para trabalhar e ver um homem de lata fazendo o seu trabalho, se esforce em se desenvolver e agregar valor. Deixe que as máquinas tenham o
emprego chato e maçante, use seu tempo trabalhando de verdade criando e inspirando. Bem como já dizia Max Weber “o trabalho enobrece o homem”.

Nós humanos temos mais de uma habilidade, e o segredo está em se esforçar para unir tudo o que temos de melhor a oferecer, desse modo nos tornaremos menos “comuns” e mecânicos.

Por fim, sempre leve com você: Esforço não é sofrimento.

trabalho no futuro

Lucas Faria Silva
26 de Janeiro de 2018.
LInkedin: https://www.linkedin.com/in/lucasfariafaria/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *