React & DesignOps: um ambiente de UI development

Tempo de leitura: 4 minutos

Não é novidade dizer que o mundo de hoje está dominado pela tecnologia. À medida em que ela avança, os conhecimentos a respeito dela também evoluem. Falar de React e DesignOps é falar de mudança, reconstrução no modo de construir componentes e é, em muitos aspectos, falar de evolução.

A Vulpi realizou, no dia 30 de novembro, a 6ª Edição do DEVSTARTER, com o tema “React & DesignOps: um ambiente de UI development”. Segue uma leitura dos assuntos relacionados à esse tema, que foram discutidos.

Um breve comentário sobre funções e profissões

Quem não se lembra do famoso filme “Tempos Modernos”? E da icônica cena de Charles Chaplin na linha de produção, apertando parafusos? Pois bem!

Desde a Primeira Revolução Industrial (meados do séc XVIII), a divisão de funções trabalhistas já estava inserida na realidade da época.

O Taylorismo e o Fordismo, por exemplo, foram metodologias criadas nesse contexto. Esses métodos foram essenciais para o bom funcionamento das grandes fábricas.

Cada operário tinha uma função específica e bem definida!

Independentemente do conhecimento do produto final, o funcionário precisava realizar bem uma tarefa, embora cada parte do processo impactasse fortemente no resultado do produto em questão.

Verdade é: nesse modelo de produção, a velocidade do processo e a padronização dos objetos produzidos era o que importava.

Certo, a Era Industrial já passou! Por que voltarmos nesse assunto?

Porque, observando o passado, é possível perceber os reflexos que ele causa no presente e, principalmente, ele nos ensina a sermos melhores no futuro.

Falemos um pouco de React

O React é uma biblioteca JavaScript de código aberto, feito para criar interfaces de usuário.

Hoje, muitos grandes sites aderiram ao React, pois ele facilita ao desenvolvedor criar componentes dentro de sites, plataformas, páginas etc. De forma segmentada.

Além disso, ele facilita o processo de criação de UIs. Com o React é possível criar visualizações simples, assim essas são renderizadas e atualizadas quando os dados forem alterados.

Ok, essa pessoa desenvolvedora cria interfaces e aí?

É aí que mora a discórdia.

O DesignOPS

Lembra da história do velho Chaplin? Pois é.

Por muito tempo, as funções de designers e developers eram muito bem definidas. Cada um no seu quadrado. Cada um com o seu “parafuso”.

Uma pessoa desenvolve, outra cria o design. Funções separadas e, muitas vezes, pensamentos conflitantes.

Porém, novamente pensando na evolução dos tempos e das coisas, o responsável por desempenhar atividades visuais percebeu que era importante uma aproximação do processo de desenvolvimento.

O projeto, embora seja criado por partes, precisa ser coeso. Essas partes no final vão ser uma só, integrada.

Para uma indústria do século XVIII, a separação de tarefas agilizava os processos e trazia a uniformização necessária para o tipo de atividade. Porém quando se trata de criação de “produtos inteligentes”, essa concepção pode se tornar um grande problema.

Por isso, não apenas o resultado final deve estar interligado, mas também as pessoas as quais construíram o mesmo.

Então, uma profissão que já existia se fortaleceu e ganhou um nome: DesignOps.

Esse perfil de profissional é responsável por organizar e desenhar as operações dentro de um time. Ou ainda, um time pode assumir essa função de auxiliar na construção de processos organizacionais numa empresa.

No caso de devs, o esse DesignOps juntamente ao time de desenvolvedores, facilita a criação e desenvolvimento de um projeto.

Agora tudo faz sentido

Assim, com uma maior interação, os resultados tendem a ser melhores e harmônico.

O time de desenvolvedores da Vulpi trabalha com esse modelo. Não é atoa que a nossa missão é promover o verdadeiro match entre pessoas. Conectar pessoas é fundamental!

É importante aproximar quem desenvolve software da percepção do design e o design da percepção da pessoa programadora.

Com isso, os profissionais tendem a ser mais empáticos com relação ao trabalho do outro e, consequentemente, agreguem valores fundamentais para a sua carreira.

Nesse ambiente, existe uma ótima oportunidade de crescimento e aprendizado. Bem ali, quando procuramos entender e contribuir com as pessoas com as quais trabalhamos.

Falando em colaboração…

Megan UI

A Megan UI é uma biblioteca de componentes de UI reutilizáveis, criada pelo time de devs da Vulpi. A Megan UI é um software de código aberto e está disponível no GitHub.

Contribuições são muito bem vindas nesse projeto.

O Jimmy Andrade, product manager da Vulpi, escreveu sobre sua experiência com o React. O texto “Obtendo experiência em React: um ponto de vista pessoal” está no nosso Blog.

mulheres desenvolvedoras

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *