A importância do protótipo na experiência do usuário

Tempo de leitura: 4 minutos

Em busca do pretérito mais-que-perfeito do protótipo?

Um dos principais objetivos de um profissional especialista na experiência do usuário é: prototipagem, validação interna e teste externo, para enfim, colocar em produção. 

“E claro, aprimorar continuamente!” 

Esse processo, envolve uma série de ingredientes: conceito, prototipagem, validação interna e externa, aprendizagem com o usuário e por fim a iteração. No entanto, o que irei dispor e manter o foco neste artigo, será como ajudar a encontrar o elixir de inspiração para executar este trabalho de maneira fantástica. Confira!

Protótipo e a jornada do usuário

Como já diziam os mestres antigamente, o elixir está dentro de você. Balela! rs. Parte do propósito está dentro de você, mas o principal está na característica de ouvir e registrar um repertório rico de informações. Repertório este que irá compor a compreensão sobre a jornada do usuário com o objetivo de entregar o resultado do produto. 

“Trabalhar com a Experiência do Usuário, é viver um processo de investigação e um trabalho apaixonante por solucionar desafios.”

Conceito é a fase do plano das ideias onde a tarefa de ouvir e registrar são fundamentais para trazer a inspiração para o protótipo. Nesta fase, é necessário comover os envolvidos (Stakeholders, PO’s, Developers, Designers, etc.) e coletar Feedbacks.

Neste momento, é um trabalho de relação interpessoal. Quanto mais multidisciplinar forem os envolvidos, mais irão contribuir para tornar concretas as ideias. Trazer diversidade de opiniões sobre suas hipóteses, te ajudará no enriquecimento do seu repertório e os objetivos do produto ficarão mais claros. 

Para ajudar nesta tarefa, sugiro rascunhar num quadro ou papel de maneira informal as principais funcionalidades e problemas a serem resolvidos. Para, assim, debater sobre as possibilidades com cada um dos envolvidos. Nesta fase, você vai perceber que é muito mais fácil promover mudanças quando o produto ainda está no plano das ideias, do que realizar um wireframe todo detalhado.

Aliás, segundo a metodologia Lean UX, deve-se criar MVP’s (sigla em inglês que representa: mínimo produto viável), ou seja, desenvolver hipóteses com o mínimo de variáveis possíveis para que possam ser testadas e obter um Feedback mais rápido.

Nesta etapa do processo, saiba definir e comunicar bem as personas envolvidas. Exemplo: visitante, cliente padrão, cliente premium, etc.

Dicas práticas

Aqui, vale um adendo: em organizações menores, algumas tarefas são abreviadas e até mesmo mitigadas por falta de quórum. Neste caso, procure visões externas de pessoas que podem se aproximar com o perfil de público que o produto irá atingir. O Feedback é a fonte de repertório mais valiosa, por isso, realizar processos curtos permite que obtenha mais feedbacks em suas hipóteses de produto.

Aliás, uma forma amigável de se comunicar em equipes multidisciplinares, são utilizando os termos “hipóteses” e “suposições”. Eles dão um caráter de que você não é o(a) dono(a) da verdade. E também, irá provocar uma ideia de que o que importa são os resultados obtidos com os protótipos.

“Segundo Jakob Nielsen, são necessários apenas cinco participantes para descobrir os principais furos na experiência de uso de um produto.” 

Em um projeto onde a governança esteja regida por uma metodologia ágil, esta etapa entra em demandas de um backlog. 

Um projeto envolvendo área de UX, pressupõe que estamos falando de Épicos que detalham um produto e depois serão dimensionados em Stories (Histórias do Usuário). A tarefa do UX nesta etapa é participar em debates e ajudar a definir os Stories, para então, dedicar-se em cada Story.

É comum que neste início o PO ou Gerente de Projetos queira entrar em amenidades que correspondem à execução do UX, contudo; a visão do Stakeholder deve ser a de transmitir a visão do cliente.

Conclusão

É importante considerar que:

“A experiência do usuário modifica com o passar do tempo. E a experiência vivida em sua jornada ganha novas habilidades e maneiras diferentes de tornar mais fácil o uso do produto. Uma espécie de acomodação.”

Essa foi uma abordagem sobre o protótipo, tema inicial do processo de desenvolvimento de um projeto envolvendo um especialista na experiência do usuário. Espero que tenha sido bem reforçado para aplicar em seus projetos alguns pontos chaves como:

  • MVP (mínimo produto viável);
  • Priorização do uso de hipóteses;
  • Personas bem identificadas;
  • Estimular feedbacks;
  • Promover o debate multidisciplinar.

Comunique-se, mantenha os stakeholders informados sobre seus planos e progressos. Garanta que irá promover boas experiências!

 

Daniel Santos: LinkedIn | Behance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *