Como controlar a mente para trabalhar menos com melhores resultados

Tempo de leitura: 9 minutos

Nesse texto tentarei explicar de uma maneira de controlar a mente. As medidas que tomei para, além de me manter saudável, melhorar minha produtividade e até mesmo a qualidade do meu aprendizado como desenvolvedor de software.

diferença entre profissoes

O constante “Loop” de modificações e atualizações

No mundo da tecnologia tudo é muito rápido e parece que nunca sabemos o bastante. Os métodos e técnicas estão em constatante mudança. Hoje, aprendemos um modo de resolver determinado problema e na outra semana surge uma nova forma. Muitas vezes com um código mais semântico ou com um consumo menor de dados, e sim, você muitas vezes terá que atualizar a aplicação, mas para isso precisará aprender essa nova técnica.

E mesmo quando não é preciso fazer uma atualização, é muito importante sempre aprendermos e dominarmos esse novo método mais eficaz de resolver o problema.Pois como profissionais, sempre precisamos estar atualizados para nos sobrevivermos no mercado.

Esse constante ciclo de fazer, aprender, dominar e refazer é muito estressante e cansativo. Principalmente quando pensamos que ele não tem fim.

A todo momento estão sendo estudadas, aprimoradas e também criadas novas tecnologias e fica a critério de cada um melhorar ou viver achando que o que sabe é o bastante. Por isso, muitas vezes, nós (desenvolvedores) nos deparamos com o stress do fluxo de trabalho e estudos. Além disso, estamos sempre pensando que temos que aprender sempre mais. Comisso, vem a frustração quando não conseguimos realizar uma tarefa.

Ainda por cima, a nossa cabeça fica muito descontrolada, quando em um projeto nos deparamos com milhares de arquivos e, em certas horas, estamos trabalhando em um documento pensando em dezenas de vários outros.

Fora quando vamos comer, estudar, relaxar e até mesmo dormir parece que mesmo assim a nossa lógica para codificar e solucionar problemas não desliga.

O fator Tempo

Para qualquer profissional, independente da área de trabalho, o tempo é o principal motivo de stress. Dependendo da demanda do serviço, cada minuto passa a ser precioso e deve ser aproveitado da melhor forma possível.

Muitos coaches surgem com fórmulas milagrosas para a obtenção da tão sonhada alta performance. Alguns passam receitas bizarras, outros trazem técnicas de mudanças de comportamento.

Tem também os que mesclam tudo e sugerem uma mudança radical de vida.

Porém, o pior de todos são aqueles que passam uma fórmula com mudanças comportamentais, as quais devemos praticamente virar robôs focados no relógio. Sem vida social e emocional, eles colocam o trabalho como “O Principal” na nossa vida, de modo que ele passa a ser a essência de uma vida feliz.

Pelo contrário, uma vida totalmente regrada e focada em jornadas de trabalho não é feliz. Ainda por cima, pode gerar grandes transtornos futuramente.

Não digo que o trabalho desses profissionais seja inútil. Muitos coaches são fantásticos no que fazem e seus serviços geram bons resultados para os clientes. Entretanto, existe uma grande diferença entre fazer um indivíduo virar escravo do tempo e do trabalho e fazer o mesmo utilizar o tempo de maneira correta.

Aprendendo a administrar o tempo

Foi isso e muito mais que aprendi há algum tempo com um homem comum. Ele, junto de sua esposa, resolveu levar uma vida diferente: muito mais saudável e simples.

Juntos, eles abriram um centro no qual sua esposa presta serviços, oferecendo cursos de PNL (Programação Neurolinguística). O seu marido é muito interessado por assuntos relacionados a energias corporais. Também estuda sobre teologia, filosofia, sociologia e principalmente assuntos relacionados a nossa mente.

A partir desses conhecimentos, ele oferece palestras gratuitas ensinando aos ouvintes como viver de forma plena e consciente. Eu o considero um monge, então vou me referir a ele desse modo a partir de agora.

A mudança para uma vida mais fácil do que a levada por você hoje

Na primeira vez que fui na palestra já aprendi muito. Mas ao mesmo tempo que escutava sobre os benefícios dessa prática, ficava sempre duvidando e questionando.

A princípio parecia ser uma coisa impossível de se fazer. E para não falar outra palavra, eu ficava muito bravo quando ele dizia que essa era a forma mais simples de se viver.

Para entendermos melhor, devemos ir ao princípio, onde começam fazer nossa mente funcionar de forma errada.

Aos 4 anos começamos a desenvolver nosso senso crítico, todos devemos ter isso. É o que rege nossos gostos e principalmente as opiniões. Contudo, o problema é que desde essa idade começam a nos ensinar a usar o senso crítico como um computador.

Como que de forma “booleana”, ou seja, sim ou não, feio ou bonito, legal ou chato, sempre utilizando dois valores para definir algo.

Outro ponto, que também devemos entender, é que utilizamos os pensamentos de forma errada. Virou um costume da sociedade – e parece ser natural – pensarmos o tempo todo, e isso (por incrível que pareça) é errado!

E foi exatamente essa parte que mais demorei pra entende!

Pois como disse, já virou parte da nossa sociedade pensar sem parar. Essas duas coisas fazem nosso cérebro funcionar em excesso. E consequentemente, gera um cansaço mental muito grande e principalmente inútil.

O que Fazer?

Muitas vezes me peguei trabalhando pensando nos estudos. Estudando pensando no trabalho. E quando era hora de relaxar pensava nos estudos e no trabalho.

Essas “pré ocupações”, depois de um tempo, me levaram a desenvolver uma crise de ansiedade. E posso dizer: não foi nada legal.

Isso acontece com praticamente todas as pessoas. O que prejudica muito a produtividade, porque esse turbilhão de pensamentos não nos deixa viver o presente.
Viver consciente é mais fácil do que parece e deveria ser adotado por todos.

5 dicas para controlar a mente

  1. Preste atenção em como sua mente esta agindo a cada situação
    Perceba se na hora do trabalho, estudo ou nos momentos que você deveria estar relaxando, se muitos pensamentos vem a sua cabeça e te tiram o foco do presente. Quando isso acontecer feche os olhos e foque na sua respiração. Tente limpar sua mente de tudo de inútil que está sendo processado, e depois que realmente sentir o corpo mais relaxado e ver que controlou essa onda de pensamentos aí então volte para o que estava sendo feito.
  2. Controle seus sentimentos
    Outra prática muito importante é controlar os sentimentos. O monge – o qual já citei – diz que somos seres divinos e de luz. E que ao alcançarmos uma evolução começamos a não sentir emoções como sentimos hoje. Ele diz que raiva, tristeza, ansiedade, por exemplo, não existem e são somente sensações supérfluas, as quais deixamos tomar conta do nosso corpo e mente.
  3. Tente para por um momento
    A partir de agora quando se deparar, por exemplo com uma sensação de raiva, também pare o que está fazendo feche os olhos e somente sinta essa sensação.Não fique pensando o porquê de estar com raiva ou na medida que ira tomar. Somente sinta as sensações que isso provoca no seu corpo, ou seja, tome consciência da raiva. Tenho certeza que depois disso você tomará uma medida muito mais inteligente para solucionar a situação que não te agradou. E isso deve ser feito com todas as outras sensações que taxamos como emoções.
  4. Desligue o modo automático
    Por fim.. você deve desligar o modo automático do seu senso crítico.
    Perceba que ao andar na rua ficamos o tempo todo julgando, classificamos pessoas como bonita ou feia, um prédio de velho ou novo. Encontramos julgamentos pra tudo! Isso de forma rápida e muitas vezes nem percebemos essa triste mania.
  5. Perceba as coisas com simplicidade
    Comece a olhar as coisas com simplicidade e veja como elas realmente são.
    Uma planta seca no seu escritório não é feia, ela só é uma planta seca. Da mesma forma que uma planta viva e cheia de cores é somente mais uma planta. Não existe bonito ou feio. Existe um falso senso que instalaram em nossas cabeças a partir do momento que começamos a raciocinar e isso prejudica muito a vida, uma vez que provoca um cansaço mental muito grande.
    Imagine seu computador enquanto está realizando uma tarefa ao mesmo tempo ficar analisando a todo momento, se alguma coisa é feia, legal, interessante, etc…
    Isso provocaria uma lentidão e um menor desempenho, pois além da tarefa principal ele processaria várias informações inúteis.

Minha experiência

Eu particularmente também adotei técnicas de meditação e mindfuness, que também me trouxeram ótimos benefícios. Mas vou deixar isso pra um outro texto especificando o porquê deve ser feito, os benefícios e como deve ser praticado.

Nesse texto tentei explicar de uma maneira mais simples as medidas que tomei para além de me manter saudável, melhorar minha produtividade e até mesmo a qualidade do meu aprendizado.

Como desenvolvedor já sofri muito com stress e ansiedade, tanto para aprender quanto para trabalhar e depois dessas mudanças me tornei uma pessoa muito melhor. Meu trabalho rende mais – mesmo trabalhando menos – e meus estudos são realmente assimilados e de uma maneira muito mais natural.

Vou deixar dois links que encontrei explicando mais sobre essas técnicas de viver o presente de forma consciente e plena, espero poder ajudar a todos!

15 dicas para viver uma vida mais consciente, plena e equilibrada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *